Permeation profiles of resveratrol cream delivered through porcine vaginal mucosa: Evaluation of different HPLC stationary phases

O trans-resveratrol afeta os sistemas biológicos de várias maneiras, porém, a sua biodisponibilidade oral é escassa devido à metabolização in vivo. Essa desvantagem fomentou o desenvolvimento de novas estratégias para o fornecimento sistêmico, como a transmissão transmucosa através da via vaginal, sendo o principal foco do estudo. Nesse sentido, o estudo tem por objetivo avaliar a eficácia da permeação do trans-resveratrol através desta rota. Para isso, foi utilizado um método previamente validado e testado com três fases estacionárias diferentes: uma coluna C18 comercial e duas colunas cromatográficas laboratoriais contendo poli (metiloctadecilsiloxano) (PMODS) termicamente imobilizadas em sílica zirconizada (Zr-PMODS) ou sílica titanizada (Ti-PMODS). Os experimentos de permeação mostraram que o resveratrol, na formulação usada não possui biodisponibilidade suficiente, sendo retido na mucosa vaginal. Deviso as informações mencionadas acima, sugerimos que o uso do resveratrol seja por via tópica e não sistêmica.

2015 – Artigo permeação vaginal – resveratrol – JCB.pdf