Transdermal Oxandrolone: Ex Vivo Percutaneous Absorption Study

Oxandrolona é um potente análogo da testosterona sintética que possui forte propriedade anabólica e fraca atividade androgênica. Além de suas implicações clínicas, a oxandrolona oral pode potencialmente promover vários efeitos adversos. Sabe-se que a liberação transdérmica de drogas pode representar um meio de evitar ou minimizar os efeitos adversos orais. Assim, o objetivo deste estudo foi avaliar a permeabilidade da oxandrolona na pele humana em uma base preliminar para possível determinação futura da via transdérmica, sendo uma alternativa para tratamentos orais. Quase 236 μg (86,7%, em termos de dose aplicada) do produto foi impedido de permear devido à função de barreira do estrato córneo (EC); 21,6% atingiram o meio receptor (MR), e os 4,3% restantes foram quantificados em camadas viáveis da pele (in vivo, a derme é vascularizada). A quantidade total de fármaco capaz de exercer efeito é a soma do fármaco quantificado dentro da pele remanescente (RS) e RM: então, um total de 247,6 μg de oxandrolona (25,9% da dose aplicada) seria capaz de permear através de uma pele danificada. A precisão dos dados é demonstrada pelo balanço de massa calculado (recuperação média = 112,6%). A oxandrolona transdérmica pode ser uma alternativa viável para a forma oral tradicional, uma vez que estudos clínicos são realizados para comprovar essa hipótese.

2017 – Artigo permeação oxandrolona – CDD.pdf